quarta-feira, 18 de março de 2020

Comunicado importante

Por motivo de força maior e devido a pandemia causada pelo Covid-19, tomamos a sensata decisão de suspender temporariamente nossas atividades, afim de evitar a proliferação do coronavírus e proteger a comunidade capoeirística.
As atividades acontecem normalmente até a sexta-feira, 20 de março, e a partir do sábado 21, estarão suspensas. Retornamos em breve.
Cuidem-se! Cuide de sua família e dos seus mais próximos.

segunda-feira, 9 de março de 2020

VIII Levanta a saia, lá vem a maré


Encerramento no Parque Barigui em 08.03.2020 - Dia Internacional da Luta pelos Direitos da Mulher


segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Iê, viva Zumbi!



Descendente dos guerreiros imbanglas, de Angola, Zumbi dos Palmares foi aprisionado logo após seu nascimento e criado pelo padre Antônio Melo, em Porto Calvo. 

Foi batizado com o nome de Francisco e aos 10 anos já escrevia português e latim. Aos 15 anos fugiu em busca de suas origens, voltou para o quilombo dos Palmares, onde adotou o nome de Zumbi. No quilombo, derrotou a expedição de Jacome Bezerra, e foi ferido em conflitos contra as tropas de Manuel Lopes Galvão e Domingos Jorge Velho.

Zumbi comandava as tropas do quilombo governado por Ganga Zumba. Em 1678, liderou um conflito interno, alcançou a liderança do quilombo, e combateu os portugueses durante 14 anos.
Palmares reuniu uma população de mais de 20.000 palmarinos (nativos de Palmares).

Após longas batalhas Zumbi saiu ferido e acabou morto com vinte guerreiros, em 20 de novembro de 1695.

Teve a cabeça cortada, salgada e levada ao governador Melo de Castro. Em Recife, foi exposta em praça pública no Pátio do Carmo, visando desmentir a crença da população sobre a lenda da imortalidade de Zumbi.

A luta de Zumbi não foi em vão! O 20 de novembro, dia nacional da Consciência Negra é uma data escolhida para homenagear o personagem histórico que representa a luta de resistência contra a escravidão.

O dia nacional da Consciência Negra foi criado em 2003 e incluído no calendário escolar, até ser oficialmente instituído em âmbito nacional por meio da lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011.

Consciência Negra, incentiva, de um lado, a consciência histórica de uma sociedade que vivenciou a escravidão e, de outro, a reflexão sobre o impacto da cultura e da presença do povo africano na formação da cultura brasileira.

  Em reflexão a esta data a ACAD Curitiba convida todos capoeiristas e simpatizantes desta arte de dança e de luta para participar da roda de capoeira angola na Boca Maldita, quarta-feira, 20 de novembro, às 18 horas.

Abolição se fez bem antes, ainda por si fazer agora.

domingo, 27 de outubro de 2019

Homenagem póstuma ao Mestre Pastinha

Em 13 de novembro de 1981, há 38 anos, faleceu Vicente Ferreira Pastinha, mestre Pastinha, nome de maior expressão da capoeira angola, detentor dos elementos que caracterizam esta arte de dança e de luta.

Árvore que frutificou de bons frutos e belas flores.
Menino da menina dos seus olhos.

Para celebrar a data, a Associação de Capoeira Angola Dobrada Curitiba realiza uma roda de capoeira em homenagem póstuma aos 38 anos de falecimento de Mestre Pastinha.

Convidamos os angoleiros e simpatizantes a participarem desta celebração no dia 13 de novembro, quarta-feira, às 18 horas na Praça Osório, pois enquanto houver capoeira o seu nome será sempre lembrado.

OBS.: Todos de branco

 "Um passo à frente, no sentido da evolução."- Vicente Ferreira Pastinha